ANOTAÇÕES SOBRE MULHERES

Era bom quando eu ia à casa dela. Na verdade, ERA BOM QUANDO IA COM ELA A QUALQUER LUGAR. – Chegava a ser quase que engraçado, ela queria um sushi, e eu cachorro quente… mas quando eu propunha ela aceitava. QUALQUER COISA QUE FOSSE. Independente do que fosse. O intuito era ficar perto de mim. A todo momento. E ao mesmo tempo, não me ligava, nem mandava nada durante o dia… era o tempo que eu precisava. É o tempo que eu preciso. E é raro ter alguém que RESPEITE o meu trabalho, e minhas preocupações, mas que faça-se PRESENTE toda noite. Ironicamente, era bom ter alguém para quem voltar. Apesar de não ter nada, nem ninguém. Às vezes me pegava no meio do dia pensando “tomara que logo escureça para vê-la”. – Tem coisas nas quais sou bom, eu sei… uma delas é SOLTAR MEUS PENSAMENTOS AO PAPEL. – Psicólogos passariam fome (mas ririam muito mais), se todos fossem como eu. – Há alguns poucos dias conversava com um amigo sobre ela. – LÓGICO, “ELA”, JÁ É PASSADO… não estaria aqui escrevendo dessa forma mais nua, se não o fosse. Por que para mim, bastava mesmo que ela soubesse o que eu pensava. E mais ninguém. Era minha companheira. E essa minha CONFISSÃO IRÔNICA E TARDIA, enquanto aqui eu continuo com meu estilo mais safado, rindo e bebericando do que a vida tem a oferecer. Era bom quando eu ia à casa dela. – Na verdade, o que me IMPRESSIONAVA naquela mulher, era a extrema CUMPLICIDADE que tinha comigo. E isto fazia com que eu chegasse toda noite mais perto dela. Era raro, ela, ou eu, não convidarmos um ao outro para fazer algo. Era raro, jogarmos jogos, ou nos vestirmos com os mesmos pudores naturais das pessoas (de pensar “eu não vou ligar!”, “não vou correr atrás”). Fazíamos o que tínhamos vontade. E vivemos juntos (em silêncio) por quase um ano. Deu certo em todos os aspectos que podia dar. E cada um seguiu seu caminho, com um gosto nostálgico de familiaridade. Como quando você reencontra um velho “cheiro” de infância, um pijama que DORMIU MUITAS NOITES COM VOCÊ. O acompanhou em bons sonhos, e nos maus também. Serviu em tudo, como tinha de ser. Mas agora apenas não serve mais. Você não tem raiva dele, nem guarda mágoas… apenas não o veste, mas se alegra, e tem boas lembranças quando passa a olhar. Nota do autor Se mulher que se enrola para ir pra cama impressionasse alguém, toda semana eu casava com uma. – Vamos ser bem sinceros, tem qualidades mais relevantes numa mulher que o tempo que ela demora para lhe dar.

Seriamente (sem brincadeira nem nada), mas HOJE PAREI UMA MEIA HORA PARA PENSAR SOBRE SEIOS. Pensava nos seios de uma menina que namorei há muito tempo atrás. Acho que foram os mais lindos que já vi… uma pele morena, bem lisa, sem marcas, os biquinhos firmes, e a auréola num tamanho pequeno ao redor. É ÓBVIO QUE ERAM GRANDES, ela já usava tamanho G antes da prótese, e depois ficaram volumosos e firmes… um espetáculo somente superado pela personalidade “CHATA” e CHEIA DE “NÃO ME TOQUES” que acompanhava aquela mulher. E bem, não preciso explicar que pouco tempo depois, por causa destes últimos “atributos”, TERMINEI COM AQUELE BELO PAR DE SEIOS. Mas pensava, sobre o “silicone”, sobre a mulher turbinada. – Quem me conhece, sabe que gosto de tudo o que é natural… mesmo que não seja o “ideal da perfeição”, e se há alguns anos me perguntassem o que preferia, diria COM CERTEZA NATURAL. – Mas não pensava estritamente sobre isto, mas sim sobre a beleza feminina… e sobre as diversas formas que as mulheres tem de se transformar. No fundo, o silicone é como um dia foi a pintura de cabelo, uma forma de se reinventar, e melhorar. E POR MOTIVOS ÓBVIOS, NÃO POSSO SER CONTRA AQUILO QUE VIER PARA MELHOR

Na verdade, “os seios” é o ponto que mais mexe com a segurança e o ego feminino. Talvez seja a representação mor da feminilidade, sendo que na arte existem diversas expressões onde a mulher expõe os seios, TANTO DE UMA FORMA ERÓTICA, QUANDO MATERNAL. – E eu mesmo vejo que é raro uma mulher sentir-se confortável com seios pequenos, embora admire mais ainda a sexualidade daquelas que conseguem, pois ser mulher não se trata de tamanho, mas de como você faz o homem se sentir. – No exemplo citado acima, apesar de tanta beleza, saí daquela relação com um par de seios, com o vazio e a falta unicamente da amiga daquela ex minha. Àquela que não tinha um par de seios tão belos, mas me foi uma companheira de meses a fio… e UMA PESSOA QUE PODE ME FAZER FELIZ até as coisas esfriarem e seguirem seu rumo fatal. Em fim, apesar de tanto pensamento. É VISÍVEL QUE MULHER NÃO SE TRATA DE FORMAS, SEXO, E DO TAMANHO DOS SEIOS. É lógico, que qualquer coisa que venha a melhorar a autoestima, e principalmente a segurança dela sobre si mesma (unhas, cabelo, maquiagem, e seios…) é bem vinda. Porém a mulher não pode cair no dogma de que ter um corpão, seios, e outros atributos seja uma “conquista” essencial da vida. Por que querida, “arranjar um homem” não devia ser objetivo de vida de mulher alguma. Na verdade, ser MULHER, ou HOMEM, está mais com as tuas atitudes, e com o teu caráter, do que com o teu corpo. E mesmo que apesar de os primeiros atributos te arranjarem pessoas, os seguintes são os que mantém as companhias.

Plano infalível para pegar mulheres fúteis

Todo mundo já ouviu aquelas verdades: quem gosta de homem é gay; mulher gosta é de dinheiro!

E a minha solteirice vem me ensinando isso a cada dia que passa!

hqdefaultComecei a brincar com essa ideia desde os meus 18 anos, quando saía para as baladinhas com o carango do meu velho. Um opala diplomata 4.1 preto, polido, lindão, que dava um ar de chiquetoso, rico e excêntrico. Era só meter um óculos escuros e uma cara de esnobe e pronto: batata. Não falhava nunca essa porra!

O número de muheres que olhava pra mim no olhava pra mim norole sempre aumentava uns 400% quando eu tava no opalão. Era assustador! E foi aí que comecei a vivenciar diretamente essa máxima que sempre ouvi falar!

Com o tempo a minha carreira deslanchou e comecei a ter a minha grana. Daí fui para as baladas com camarote e percebi uma nova dimensão dessa história. Sempre que existem várias opções para a mulherada, elas vão preferir a opção que aparenta ter mais dinheiro e poder. É quase algo genético, como se a cria dela fosse ser mais segura com aquele homem, o que é verdade na real. É um instinto da mulher procurar um cara que tenha grana e poder porque ela sabe que a família que ela vai construir vai estar segura. E depois, se o cara for servicinho e não comer direito, ela sempre tem como dar os pulinhos dela, meter um galho no cara, se satisfazer e, se fizer tudo direitinho, ainda acaba com o casamento levando uma bela mesada e alguns bens de consumo duráveis! 😉

É por isso que os homens adoram ostentar; para atrair mulheres mais bonitas, mais gostosas, mais perfeitas para o padrão que, para nós, vai nos trazer a melhor cria. É instintivo pra gente também. A gente se preocupa muito com estética e quer que nossos filhotes sejam lindos e pegadores, por isso a gente procura uma mulher linda e gostosa para procriar. Claro que na imensa maioria dos casos a gente só quer comer, não procriar, mas o nosso cérebro animal e instintivo não sabe disso. Não sabe que quando os nossos nadadores saírem por aí, vão dar de cara num muro de borracha! huahuahuaa

Resolvi um dia começar a frequentar as casas mais caras de SP para conhecer gente de alto nível. Não sei se vocês sabem, mas só gente pobre paga pelas coisas, ricos não são cobrados por nada, inclusive impostos. Segui a estratégia do cara que se fazia de filho do dono da Gol, fiz uma papeladinha falsa e comeceia  explorar as baladas mais caras de SP, entrando como VIP em cada uma delas. Nem fui muito criativo; inventei que eu era filho do dono da Friboi. Lancei algumas postagens na internet para causar uma polemicazinha caso alguém procurasse algo no google.

Mas um dia fui ficando abusado e resolvi levar a história para outro nível. Depois de conhecer algumas mulheres nessas baladinhas – elas são bem mais frescas, só dão pra você se tiverem certeza do seu poder econômico – eu pagava uma de milionário descolado, que não era muito de ostentar. Resolvi procurar uns sites de casas de gente com muita grana e que querem vender a propriedade – sites como Brazil Exclusive ou LuxuryEstate.com – e marcava de ir visitar as propriedades com alguma mina que eu tinha conhecido nessas baladas chiques. chegava na casa – aquelas casas de cinema, de mihões de reais que eu nuuunca teria grana pra comprar e eu bancava de rico excêntrico, andava pra lá e pra cá metendo defeito na casa e no final eu ficava de dar uma resposta pro corretor. Era sair de lá e ir pro motel com a mulher – claro que na suíte mais cara – que todas elas se impressionavam, achando que eu tinha a bala pra comprar aquela propriedade.

Teve uma vez que eu pedi pro corretor para nos dar licença por algumas horas para podermos andar pela casa sozinhos, como se fossemos comprar juntos e acabei transando com a gatinha ali mesmo, na própria casa que tava pra vender, numa cama king size gigantesca.

O melhor depois de comer a mulherada fútil nesse esquema é o sumir sem deixar rastros. Elas enlouquecem, achando que perderam o príncipe encantado! Mal sabem elas que aqui é 99% vagabundo e 1% sem pressa! hahahahahah

CONDIÇÕES PARA A FELICIDADE

 – Não é raro ouvirmos frases como: “Ah, quando eu conseguir comprar a minha casa eu vou me sentir realizado.”, “Minha vida está quase perfeita, só falta um namorado.”, “São esses quilos extras que estão me deixando infeliz.”. E então, fazemos desses desejos nossas metas para a felicidade. Só que as vezes, mesmo depois de conseguirmos, a felicidade que sentimos com o resultado é muito menor do que imaginamos que fossemos sentir enquanto estávamos perseguindo esse objetivo. – INSATISFAÇÃO. Você é belo, rico e sexualmente ativo, e ainda vai estar lotado disto. Ela encontrou tudo o que queria. Provas da minha traição. Se é que era traição, pois ela sempre soube. Só que agora, era tudo concreto, nada mais de cogitações e das minhas sinceras palavras tentando mostrar a verdade. “Eu sou um terrível companheiro”. Há quem diga que eu quis que ela descobrisse… a verdade, é que foi um alivio. Não queria enganar ninguém, mas minhas palavras só não bastavam para nós. E tudo foi puro, real e agradável. Seria irônico se isto tivesse me acontecido uma vez, mas não… é constante! No fundo, aquilo que você não pode mudar, você esconde. E infelizmente, a sensação de prazer, de orgulho, que nossas conquistas nos fazem sentir não duram para sempre. Nesta vida, onde o homem é um potencial predador, onde o sexo contamina tudo, independentemente dos desejos e dos conflitos que possam lhe atravessar, àquela sensação de prazer e de orgulho já não dura o suficiente para que saia do “caixa” sem olhar à “vitrine” em busca de algo novo, e melhor. É essa eterna sede que nos põe em movimento, constrói (e destrói) tudo aquilo que (não) gostamos sobre nós mesmos. Cria nostalgia de tempos em que “estivemos felizes” sem considerar que a felicidade não é uma constante, é apenas a variável que alimenta e lubrifica essa máquina humana. No final, respondendo a pergunta: “O que é felicidade?”. – É o momento antes de você precisar de mais felicidade…

A verdade é que a VIDA PASSA RÁPIDO, e tem pressa! – E nós somos os principais responsáveis por aquilo que acontece. Talvez, isto ocorra, por nossa plena incapacidade de mudar `quilo que nos incomoda e a nós mesmos. E a isto damos o nome DESTINO, assim deixamos de ser obrigados a confrontá-lo. E finalmente, o aceitamos; como uma parte imutável que a vida tem a nos oferecer. Certa vez meu antigo agiota comentou que “ela mandou entregar uma Mercedes SLK 280, zero, em baixo do prédio”, e continuou “sabe por que não aceitei?! – Por que a partir daquele momento seria uma posse dela. Eu sabia que ela me daria tudo, mas que eu nunca passaria de uma COISA para ela”. – Lembrando dessa história, revi um amigo falando que nunca pagou por sexo. E revi os hábitos dele de gastar 10, 20 mil numa noite para impressionar uma ou um punhado de mulher. E no que muda, se no final, ESSENCIALMENTE o interesse em ir para cama foi o mesmo que UMA PROFISSIONAL TERIA. Tanto a razão, quanto a emoção tem seus reveses. E posso lhe dizer que NÃO HÁ GARANTIAS DE FELICIDADE NOS DOIS POLOS. […] A verdade é que a decisão é sua. Inclusive de começar a olhar a pessoa que está contigo com outros olhos, melhores. Por que parte deste desinteresse e desgosto, é pelo teu próprio “cansaço”. Em outro ponto, assim como quem sofre, e permanece subjugado a numa RELAÇÃO VENENOSA. Fica, por que tem o olhar entorpecido em felicidade. Por que só quem está muito iludido, não entende a verdade de que ninguém, tem o direito de lhe puxar para baixo. No final, certo mesmo estava meu antigo agiota. Que apesar de gostar da mulher com quem estava, entendeu que a partir daquele momento as coisas mudariam para algo qual ele não estaria interessado. – A vida é assim, uma CONJUNÇÃO DE INTERESSES; sejam financeiros, sociais, afetivos, sexuais… e você não está obrigada se relacionar por nenhum deles, quanto menos permanecer numa relação pelas escolhas que um dia fez. Mas se ficar, lembre-se do que aquilo realmente pode significar.

 

Sobre o trabalho…

SER ADVOGADO É: “Ser invadido por uma SUPER-EXCITAÇÃO. É algo tão forte que lhe põe na Br a 210km/h, cortando o giro na 3a marcha. É instantâneo quando você obtém o que quer, quando você ganha, ou prova que estava certo desde o princípio, apesar de todos os riscos. É saber que se você cair NÃO VAI TER NINGUÉM LÁ CONTIGO para lhe aparar, nem seu cliente, nem suas namoradas… sem equipamento de segurança, só um sapato caterpilar e um punhado de Ck e Lacoste cobrindo o corpo. E um capacete, PARA NÃO ESTRAGAR O FUNERAL. E você, aceleraria para ver o fim disto, ou voltaria atrás? Advogar não é voltar atrás! Por isso é viciante. Todos os advogados lhe dirão isto, é como uma droga. E você vai querer mais…

Estava vendo… AS PESSOAS (de um modo geral) SÃO CALOTEIRAS! – Falo isto pelos problemas que desaguam no escritório. Já perdi as contas de quantos cheques cobrei, e quantos tenho ainda para cobrar… promissórias de empresas, revendedoras de veículos, cabeleireiros, dentistas… todos levando calote! Ontem um cliente meu falou que é o problema de B.C., que as pessoas não gostem de pagar por aqui, e mantenham a ‘panca’. Mas creio que seja este um problema generalizado, e isto explica por que tantas pessoas prefiram virar ‘funcionárias públicas’, por que pelo menos recebe. Vai passar a vida toda como empregado, mas não tem o DESPRAZER de ter que cobrar alguém. As pessoas de um modo geral, tem um REI NA BARRIGA. Comem farofa e arrotam caviar…

começando uma história…

Esses escritos reúnem de uma forma inédita uma série de pensamentos que já manifestei e até publiquei esparsamente (em perfis, colunas, conversas…), e explicam um de um modo nu a maneira como embalo minha vida. Além disto, talvez através deste manual, ajude as mulheres a evitar ‘tipos como eu’, ou então a abraçar a vida de uma forma mais livre, mais solta. Essa é uma das minhas maiores críticas, a necessidade constante que algumas mulheres têm em se definir pelo homem que estão. É uma necessidade de contar para as outras com quem tem saído, e quais as suas expectativas. Pior, colocar expectativas na fábula moderna do casamento, da vida a dois, sem considerar que ESTAR JUNTO É UMA OPÇÃO, não uma condição. E fora as brincadeiras, admito! Sou uma espécie de hippie moderno. Vivo descalço, e invisto tudo no prazer. Vivo de amor e deixo tudo livre; sou livre… e só fico perto de quem quero, e por opção. A verdade, é que todo o resto, é a soma das impressões que as pessoas têm sobre mim, e mais certeiramente, o resultado de muitas coisas que falo e da maneira como toco a minha vida. Eu tenho só um grande defeito… sou homem. E eu quero tudo! Melhor que qualquer cara fiel que vai sugar a alegria de dentro de você. Levar a vida do seu jeito, com os seus horários, sempre fora da regra. Jantar às 06h e almoçar goles de whisky pra despertar. Viver à sua maneira. “O mundo inteiro acordar, e a gente dormir”, como já falava o saudoso Zuza. Ganhar e gastar dinheiro, como se não tivesse a vida inteira… E a companhia, que venha, mas que saiba que está só de carona. Que a viagem é minha. E só minha.

DEVANEIOS SOBRE CASAMENTO

E ele falou: “esse cara não vai casar! Ele deve ter uma vida muito boa”. – E é fato, tenho! – Até ontem conversava na mesa com o pessoal do escritório sobre isto. Muita mulher me pergunta o “porque estou solteiro”. E a resposta é a mesma (sempre), “por OPÇÃO”. Tenho meus motivos. Primeiramente, por que SAIO BASTANTE, pelo menos umas três ou quatro vezes na semana, e nunca dependo de alguém para isto. Aprendi que amigos, mulheres, e outros AGREGADOS NÃO SÃO O MAIS IMPORTANTE QUANDO SE TRATA DE FELICIDADE. A festa sou eu, e a alegria vai me acompanhar por quantos dias eu quiser que ela vá, e para onde eu quiser que vá. A verdade, é que nascemos, vivemos e morremos sozinhos. Do começo ao fim! Habituese a isto. – Mas não é por que acredito na plena e completa solidão do indivíduo, que passo minhas noites sozinho. Não. Em verdade, adoro conhecer pessoas, fazer amizades, escutar suas histórias, compartilhar e compreender. E por isso, a felicidade é sozinha… mas isto não significa que tenha que estar sozinho onde vou. Ao contrário, sou extremamente sociável, e acredito que COMPARTILHAR É UMA FORMA DE APRENDER. – Hoje em dia o que mais adoro fazer é viajar… mas raramente vou sozinho. Gosto de dirigir em silêncio, escutando minha música. Mas gosto de almoçar acompanhado, passear conversando com alguém. COMPARTILHAR O QUE ACHO AGRADÁVEL DA VIDA. Mas isto, você só consegue fazer, se consegue ser feliz sozinho. E como te disse… adoro conhecer pessoas, e no caso das mulheres, adoro a companhia delas. Adoro uma boa companhia de cama. Mas isto não significa que a pessoa seja “tudo o que precise em minha vida”. E uma hora você aprende que a maioria não está preparada para isto. E se você sabe viver bem sozinho, tem que aprender que deve ajudar os outros, aconselhar, dar suporte emocional ao menos. – O fato deu NÃO QUERER CASAR, não me impede de dar apoio emocional a ninguém. E se posso ser bem sincero… mesmo a mais antiga amizade não consegue ser maior que a amizade desenvolvida por um casal. O sexo tem alguma coisa que estreita a intimidade e quebra as barreiras mais subjetivas. Talvez tenha algo a ver com DOAR-SE. Não sei. Mas com certeza é uma porta aberta para muitos dos segredos mais íntimos e sujos das pessoas (e por isso me agrada). Gosto de quem confia em mim.

Sobre mulheres e Dinheiro

JÁ TIVE MULHERES que vieram quando a situação estava favorável ($), e depois foram… que nem cada trocado que tive no meu bolso, bebê. A verdade, é que no mundo sempre tem alguém que diz que “muito te ama” quando e enquanto lhe for FÁCIL e conveniente. Eu não quero isto, não quero uma companheira, não quero uma amiga… (companheirismo uma hora acaba, e amizades se separam um dia) … quero UMA CÚMPLICE. Pro certo e errado, pro bem e pro mal. Não alguém que me julgue pelos olhos dos outros… mas alguém que abrace meus defeitos com a ciência de que eles são sinceros, e não podem lhe ferir. DECEPÇÃO SILENCIOSA Hoje eu vejo que sou uma daquelas pessoas que sofre de DECEPÇÃO SILENCIOSA. Eu só observo, e quando nada vai de acordo com meu gosto… eu apenas “sorrio e aceno”. Na verdade tenho usado muito desta expressão desde que lançaram aqueles pinguins de Madagascar, onde o Capitão sempre repete: “_ Rapazes, sorriam e acenem”. É engraçado notar as pessoas fazendo brincadeiras, SE FOLGANDO, falando, se escorando… sem perceber que não estou gostando. Ai elas erram, vêm se desculpar, mas desculpas não me importam (por que acredito que as pessoas têm que acertar de primeira, e que as PESSOAS SÃO O QUE SÃO, e nunca vão mudar… e principalmente, que o que está feito, está feito). Acho que tomei isto da minha mãe, que sofre dos mesmos males. E eu achava engraçado como nos entendíamos (ela e eu), sem trocar palavras, apenas por observar bem as mulheres com quem me envolvia, meus amigos, qualquer pessoa. Mas com o tempo VOCÊ APRENDE A NÃO SE DECEPCIONAR… você observa tanto, que no fim, já sabe! Não coloca mais expectativas, e sempre termina os fatos olhando para alguém com o velho bordão: “eu avisei!” Podem falar que é calejamento, ou que sou “desiludido”. Com o tempo a decepção silenciosa torna-se apenas, SILENCIOSA. Você continua observando. As pessoas continuam agindo como se estivessem “estourando a boca do balão”, confortáveis, tranquilas. E um dia, “do nada” ou de tanto observar, cansa. Tu sorris. Acena. E dá tchau… Comentário do autor Já errei, e aprendi a duras penas o que quero ou não para mim, e por perto de mim. E principalmente, que não sou obrigado a me contentar com o que as pessoas fazem e que me desagrada. A VIDA É MUITO CURTA PARA SE GASTAR COM QUEM TE FAZ INFELIZ, e muito curta para ser infeliz. O texto, para ser bem didático e auxiliar o entendimento de todos, trata sobre decepções, e aceitá-las silenciosamente. Trata sobre a descrença de que “brigas”, “barracos”, “discussões”, vão alterar o que de fato as pessoas são. E por fim, sutilmente, trata sobre NÃO CRIAR EXPECTATIVAS, pois o mundo é cíclico, e as coisas se repetem. – Apesar da manifesta discordância, tenho certeza que você não é o tipo de pessoa que não se decepciona com nada. E mais além, incapaz de abrir mão de quem não lhe faz bem

Vício em Pornografia?

Esse povo não tem mais o que inventar. Vício em Pornografia?

Essa notícia só não consegue ser mais cretina porque não teve mais gente lendo.

DEsde quando uma punhetinha faz mal, gente?

Muitos especialistas afirmam que o cérebro de uma pessoa assistindo pornô não funciona da mesma forma que o de dependentes químicos, embora as evidências sejam contraditórias nesse ponto.

Fonte: É possível ficar viciado em pornografia?